Translate

sábado, 10 de junho de 2017

Equilibrar-me Com o Mundo... – Roupa

 Bem-vindos à crónica anual deste blog!
A de hoje é um pouco mais direcionada para as senhoras e em especial para as mais novas que além das lojas físicas ainda perde a cabeça nas lojas online! Sejam bem-vidas ao meu roupeiro das camisas e dos vestidos de verão! (Sim porque eu tenho outro armário para outro tipo de roupas)
Eu admito! Para quem se diz querer equilibrar com o mundo, eu tenho muita roupa! Em minha defesa, acreditem ou não, grande parte dela foi dada, ou seja, é roupa usada!
Por que é que eu tenho um armário tão cheio mas sinto-me a encontrar o equilíbrio? Porque o segredo não é deitar tudo fora e reduzir, mas sim aproveitar o que temos, usa-lo ao máximo e apenas comprar o estritamente necessário! Até aqui os meus objetivos foram alcançados! Mas a partir daqui tudo se complica, porque o que quero fazer daqui para a frente é apenas comprar roupa que tenha sido produzida respeitado o ambiente e os animais, e neste momento poucas são as marcas que o fazem e muitas são as que fazem “greenwashing”… O que significa isto? Empresas que fazem a maior m**** do mundo mas que o escondem, anunciado apenas o que fazem (por vezes o que “deveriam fazer”) dentro dos parâmetros minimamente aceitáveis.
Por isso, quem sabe indicar sítios a salvo do greenwashing e do desrespeito pela natureza?
Sabem como faço para não perder a cabeça com todo o tipo de coisas super giras que me aparecem pela frente?
Conforme vão-me surgindo necessidade de algo novo (isto também é valido para gadgets), assento essa necessidade e durmo sobre o assunto, se acordar a continuar a querer tal coisa, é porque ela realmente me faz falta… Outra boa técnica é levar para as compras em forma física, apenas o dinheiro que se pretende gastar ;)

Ficam as dicas, espero que inspirem mais alguém!

sexta-feira, 2 de junho de 2017

O Mendigo da Ponte

Ponte D. Luís - Porto
Ouço-os a passar!
Tudo estremece à sua passagem...
E o meu sono é uma miragem,
Que não consigo alcançar!

Aconchego-me melhor no cartão,
Que não me cobre por completo,
E o que se encontra mais a descoberto
É este pobre e abandonado coração.

Deito-me sozinho na noite.
Na esperança de não voltar a acordar.
Deito-me sozinho por ter sido afoite.
Por ter voltado a apostar!

Só queria que os que passam na ponte, ali!
Parassem de tirar fotos aos seus belos rostos,
E tirem-me uma foto a mim!

Tirem uma foto aos meus desgostos!
Tirem uma foto! E quando a voltarem a ver:
Conheceram alguém que já não tem mais nada a perder!

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Aquela frase...



O tempo voa porque eu não tenho tempo, não tenho tempo porque tudo corre em meu redor e eu não quero correr com ele, provavelmente ninguém quer correr, mas correr porque é o mais fácil de fazer.