Translate

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Equilibrar-me Com o Mundo… – Apadrinhamento

Esta é uma notícia que me deixa muito feliz e é por isso que a partilho convosco!
Há um ser neste mundo que me pode chamar de madrinha, só é pena que não o consiga fazer com palavras porque apenas consegue chilrear! Eu apadrinhei uma Andorinha das Chaminés que se encontra no centro de recuperação de Castelo Branco (CERAS)!
Não é o bichinho mais fofinho que já viram?


Podem ter certeza, que só por ter recebido esta foto o meu dinheiro valeu cada cêntimo!
Não sei até onde este meu ato pode ajudar o “mundo”, até porque ao ser libertado, o pobre animal pode ser apanhado por um gato e o dinheiro que gastei na sua recuperação passa a ser comida para gato… Contudo, sinto-me verdadeiramente feliz porque pela primeira vez senti que os meus atos fizeram a diferença!
Se também quiserem apadrinhar algum animal que se encontra em recuperação podem no fazer aqui, tem todas as informações no link.

E encerro este texto com a promessa que iniciarei uma nova cronica neste blog com o nome “Apadrinhamentos”!

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Equilibrar-me Com o Mundo… – Compostagem

Na minha casa faz-se compostagem.
E esta crónica deveria acabar aqui, porque já toda a gente deveria saber qual a sua importância.
Não há nada deste mundo cuja sua decomposição sob terra liberte mais gazes tóxicos do que a matéria orgânica! Não há maior poluição, que poderia ser evitada, do que embrulhar em plástico e meter debaixo do solo aquilo que pode ser transformado em adubo à superfície.
Na minha casa foi uma guerra conseguir transmitir este conhecimento aos meus pais, pois eles não acreditaram em mim até verem o resultado com os seus próprios olhos: a árvore mais bonita do nosso quintal tem as raízes enfiadas no nosso bidon de compostagem, as suas folhas não ganham piolho e os seus pêssegos são os maiores e os mais saborosos…
Começamos com um recipiente para colocar ervas, folhas de alface e outros legumes que não prestam para consumo. Hoje em dia, o que não vai para os animais vais para os três recipientes deste género que possuímos. O meu pai mistura este adubo com estrume e dá-o a todas as plantas que cultivamos.
Todas as casas deveriam ter um recipiente destes, pois não há maior desperdício do que deitar fora aquilo que ainda tem muito valor.
Pesquisem, informem-se e descobriram que aquilo que vos digo é a mais pura das verdades!