Translate

terça-feira, 11 de abril de 2017

sexta-feira, 3 de março de 2017

Que mal há em amar outra pessoa?

Todos sabem os nomes deles, mas nenhum o admite…
Se eu disser que o de cabelo louro se chama João e o que tem a pele cor de chocolate se chama Manuel não faz mal, pois protejo-lhes a sua identidade e ao mesmo tempo demostro que também eu quero esconder o facto de saber como se chamam!
Porque todos sabem que eles andam de mão dada na rua, todos sabem que trocam beijos perlongados em público como qualquer outro casal… Mas todos pensam que o que eles fazem não está certo! Até eu tenho duvidas! Será que está?
Pelo sim, pelo não, tapo o olhar dos meus filhos para que não vejam aquele exemplo, para que quando foram mais crescido sejam como eu e que não aceitem que amar outra pessoa é perfeitamente normal!
E eles seguem rua fora de mão dada, dois marmanjos de tronco largo, braços fortes… Qualquer rapariga sonharia poder ser rodeada por aqueles braços, beijada e amada por um homem assim, contudo só tem olhos um para o outro.

Que mal há em amar outra pessoa?

sábado, 25 de fevereiro de 2017

O Mostro do Secundário

Os alunos que agora estão no secundário começam a stressar com a chega dos exames, uns queixam-se que os exames são injustos, outros dizem que todo o sistema de avaliação é injusto… Perante isto uns dizem que é preciso mudar, outros dizem que a vida é injusta e nada se pode fazer!
Eu sou um caso real de que o secundário me arruinou o futuro! E aviso que quem apenas se tem que stressar com os exames é porque viveu o secundário a santos!
Na secundária apanhei os piores professores da escola ensinavam mal e rebaixavam-nos psicologicamente de uma forma inadmissível, mas o que se podia fazer? Nada, porque já estavam na escola há muito tempo! Mas a avaliação de professores não é necessária! Claro que não! Pois é importante deparar-nos com professores que só tem capacidades para serem carrascos e “notas acima de 16 são só para o professor, na universidade vai ser muito pior”. Aí a universidade vai ser pior? Desde que estou na universidade tenho tido as notas que mereço! Até já tive um 19,25! Esta nota no secundário era impensável! A escala era de 0 a 16!
O meu objetivo era ir para a faculdade para o curso de ciências farmacêuticas (a minha média era de 14, impossível entrar em tal curso), decidi seguir gestão. Candidatei-me a todas as faculdade de Lisboa, entrei na 5º opção… Em Leiria. Só me apeteceu morrer!
Hoje comparo-me com os meus colegas do politécnico, tenho média de quinze, faço as cadeiras todas em frequência, ainda não fiquei com uma única por fazer. Todos estes meus colegas tiveram melhor média de entrada do que eu! Mas notoriamente, tenho mais capacidades que eles… Que justificação existe para isto? Fui subavaliada…
Quando acabar o meu curso e for à procura de emprego na minha área de residência (Lisboa) quem é que me irá dar emprego com um diploma que terá escrito em letras grandes “Politécnico”?
Eu não segui o curso que queria, não fui para a faculdade que ambicionava… Não porque não tinha capacidades mas porque me cruzei com as pessoas erradas!


P.S. Já sei que vão dizer que não me esforcei o suficiente no secundário… Eu tive um esgotamento nervoso e uma depressão no 10º ano, tive de ter consultas no psicólogo e tomar ansiolíticos durante um ano por me ter apercebido que nunca alcançaria os meus sonhos.

Sim, este texto é grande e não tem graça... E nunca haverá de ter!