Translate

sábado, 26 de maio de 2012

Que Seja de Ti

Quem vive um dia, morre uma noite, porque de dia as coisas são mais duras do que de noite.
Eu nasci a uma madrugada, entre a lua poente e o sol nascente... quando será que irei morrer?
Mas tu sabes! Sabes aquilo que não consigo sentir, os pensamentos que não consigo ouvir, tu sabes tudo aquilo que me enche de feridas por não saber.
Sofro só de pensar que mentes...
Imagino-me eternamente feliz ao teu lado e imagino-me infinitamente infeliz sem ti... o meu coração amar-te-à para todo o sempre mas sabe que um dia vais partir.
A respiração folgante e o sorriso interminável de te ver frustrado quando eu sou mázinha para ti, um dia vão conhecer o fim.
Porque eu não tenho medo de um dia ficar cansada de estar sempre perto de ti ou de não termos mais assuntos sobre os quais conversar, Eu tenho medo de um dia ter saudades do estarmos juntos e de conversarmos.
Não tenho medo que um de nós morra por uma estupidez, mas tenho medo que um de nós parta por estupidez.
Se um dia ficar sem ti, desejarei morrer.
Porque não estava previsto apaixonar-me por ti, mas está mais que revisto que se um dia for para ser nada que hoje seja de ti.

3 comentários:

  1. Os apaixonados temem os silêncios e chamam-lhes "incómodos". Tolos! Partilhar um nada é algo apenas conseguido pelos que se amam, que de mais não precisam além da companhia do outro.
    Apreciar um silêncio em conjunto é atingir o nirvana de uma vida com duas personagens. O momento que tudo desaparece e só restam dois olhares, dois corações a bater em uníssono. Quando o nada se transforma em tudo e esse tudo são dois igual a um.
    Confuso? Mas é suposto ser simples?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E é simples, quem o vive, sabe compreender!

      Eliminar
    2. Parece que deixas-te de gostas do meu blog :( ou de me deixar comentários.

      Eliminar