Translate

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

coisas más

Corro entre as árvores. O meu vestido prende-se em todos os ramos de todas as árvores, mas não me preocupo se o rasgar, porque sou livre!
Em tempos fui princesa, agora ambiciono ser fada, o que haverá de melhor do que ter as minhas próprias asas? Já as sinto nascer no meu dorso! Imagino que farão um pouco de cócegas ao início, e provavelmente não irei conseguir voar como as outras fadas nos primeiros dias. Mas terei as minhas asas! Poderei voar por todo o mundo! Imaginem só: o bater vibrante das asas, as velocidades que poderei atingir, os sítios que poderei visitar!
Infelizmente, não posso fazer isso agora mesmo, mas brevemente o farei. Por agora tenho que correr, tenho que chegar à cerimónia que me dará vida aos sonhos.
As fadas voam por cima da minha cabeça. Brilhantes pontos que se deslocam comigo, não querem que me perca. E finalmente cheguei, a uma clareira no meio de um bosque sombrio, consigo ouvir diversos sons que me assustariam se eu não estivesse a segundos de receber as minhas asas!
- Olá princesinha! – saudou uma fada vestida de azul, com umas asas fofinhas!
- Espero que estejas preparada para receber as tuas asas. - afirmou a “fada rainha”.
Com isto, senti algo a espetar-se nas minhas costas… seriam as minhas asas? O sangue escorreu das minhas costas até ao chão e quando o tocou ondas brilhantemente azuladas foram de mim até às fadas, elas ficaram com um aspeto mais jovem e eu caí sem conseguir respirar. A rainha aproximou-se de mim e afirmou:
- O sangue real sempre caí aos nossos pés!                    
- As minhas asas… - perguntei chocada.

- Estão aqui! – A rainha colocou um punhal no meu coração…

Sem comentários:

Enviar um comentário