Translate

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Os rios correm para a nascente,
O sol já não se põem no poente.
Estou desalinhada de todos os astros...
Debaixo de água está o meu mastro…

Tenho o barco ao contrário,
Mas consigo respirar…
Será esta história conto do vigário?
Ou fui eu que deixei de me importar?

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015



Há minha volta gira um tornado de emoções. Tento correr ao mesmo ritmo desse tornado, para me manter no centro, onde os ventos são mais fracos não me conseguiram destruir mas já me sinto a ser sugada. Não estou a conseguir acompanhar este tornado…

Tornado esse que eu criei, destrói tudo pelo caminho e não deixa uma única árvore de pé… Assim é que se vê como o feitiço se vira contra o feiticeiro!

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Teoria Evolutiva de Charles Darwin

Anda espalhado aí pela internet que devido às novas tecnologias o ser humano vai evoluir de forma a ficar com os dedos mais compridos, mais alto e com os olhos maiores… Mais um pouco e parece a história do Capuchinho Vermelho “Oh vó, porque é que tens umas orelhas tão grandes…”

O primeiro ponto que quero deixar bem assente é que segundo a teoria que hoje em dia é consensualmente aceite pela comunidade cientifica esta mutação do ser humano é completamente impossível, essa teoria que demorou anos a ser desenvolvida chama-se teoria da evolução das espécies de Charles Darwin. O segundo ponto que quero deixar presente é que estudei três anos de biologia no secundário (logo não sou nenhuma especialista no assunto) e esta teoria deixa-me absurdamente enervada por ver tantas pessoas acreditarem nela, inclusivamente professores universitários (dica: se não sabem, não abram a boca! Agradecida).
Então vamos começar por enunciar a teoria de Darwin: Após anos a estudar ilhas isoladas do pacífico (incluindo as Galápagos) Charles Darwin descobriu que em todas essas ilhas haviam especiais muito semelhantes, contudo não eram iguais, Charles Darwin ficou realmente admirado com esta descoberta, porque teriam aquelas espécies criado características tão específicas em ilhas diferentes? A resposta encontrada é que quando a espécie-mãe chegou à ilha desenvolveu-se em várias espécies-filhas, sobre estas foi aplicada a seleção natural, ou seja, apenas a espécie que tinha aquela característica especifica (por exemplo ter uma pena azul ou comer moscas, fazer o ninho numa falésia ou um gene que a torna imune a uma doença) conseguiu sobreviver aos desafios que a natureza aplicou sobre todas as espécies da ilha. Com o ser humano aconteceu o mesmo e vai continuar a acontecer, nós desenvolvermos uma nova característica, ela vai-se espalhado conforme nos vamos reproduzindo e um dia acontece algo no meio à nossa volta que faz com que essa capacidade seja motivo para a nossa sobrevivência ou para a nossa morte. Por exemplo, todos nós sabemos que o ser humano começou por ser negro, só mais tarde é que desenvolveu a pele clara mas porquê esta alteração? Durante as movimentações humanas fomos migrando para norte, onde o inverno é mais longo e onde há menos exposição solar, uma pele escura não capta os raios solares tão bem como a pele branca para a produção de vitamina D. Assim há muitos milénios atrás, quando o homem primitivo se fixava no norte havia pessoas brancas e negras misturadas, só que as pessoas de pele escura não estavam “aptas” a esse clima e por isso morreram, não passando os seus genes para as gerações futuras.
Assim é fácil explicar como é que a natureza tem um papel importante a selecionar as características que determinam a sobrevivência ou a morte, mas não é só isso que é importante sabermos, há ainda que dizer que as alterações que são transmitidas de pai para filho apenas acontecem através dos genes presentes nos gâmetas e de mais forma nenhuma! Ou seja, para haver uma alteração física do filho em relação ao pai é necessário que exista uma alteração genética a quando da formação dos gâmetas. Imaginando que o Zé faz natação, desporto que faz com que a largura das costas se desenvolva, o filho do Zé só terá as costas largas como o pai se houver uma alteração genética que diga “vais ter costas largas!” durante a formação do espermatozóide, pois uma alteração física não é registada na genética do indivíduo. Contudo, uma alteração genética implica uma alteração física!
Segundo estas explicações como podem dizer que há alguma dúvida da eventual possibilidade de o ser humano “evoluir de forma a ficar com os dedos mais compridos, mais alto e com os olhos maiores”?
Se tiverem duvidas sobre a veracidade das minhas explicações vejam os programas que passam ao domingo de manhã na SIC (não, não é a Violetta) e no Odisseia e vão ficar a perceber tudinho, porque nesses programas eles explicam muito melhor do que eu visto que são feitos por especialistas…



quinta-feira, 19 de novembro de 2015

terça-feira, 17 de novembro de 2015


Bailarina do inferno que trazes a destruição…
Anjo negro que me partes o coração…
Parem de ascender desde as trevas
Todos vos querem ver longe deveras!

Tu que dizes que tem de ser assim
Mas este assim, só o é para mim!
Como pode ser essa a forma correta,
Se para mim não está certa?

Como é que pode ser “o melhor” para mim
Estar a quilómetros de ti?
Parece que o melhor trás no ventre a tristeza…
“O melhor” é um anjo negro de certeza!

quarta-feira, 4 de novembro de 2015








Quando vemos o nosso amor\amigo\irmão\filho partir fardado, a imagem que vemos está desfocada... Pois choramos com medo de que aquela seja a última vez que o vemos vivo...

sexta-feira, 30 de outubro de 2015






Alteramos tanto a natureza que esta já não representa nenhum perigo para os seres humanos... Agora, o nosso maior predador são outros seres humanos!

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

meuS SonhoS



Sonhos. Sonhos que não entendo.
Mas que raio é suposto eu perceber?
Sonhos que não metem medo,
Mas não sei o que querem dizer...

Se os sonhos são visões
De um futuro que será presente,
Então, eu não estou ciente
Dessas minhas previsões!

Se os sonhos são o que está prometido,
Então, continua a sonhar, não faz sentido!

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Lembro-me de quando era criança… Mais criança do que o que sou hoje… Lembro-me de guardar no estojo os bicos dos lápis quando estes se partiam, lembro-me de os partir de propósito para ter mais do que os outros, recordo-me de estar ao despique com os meus colegas para ver quem tinha mais!

Eram as coisas parvas da infância… Coisas parvas que continuei a fazer durante alguns anos, coisas que sei que há crianças a fazer o mesmo que eu fiz! Essas coisas parvas que ninguém se lembra de ter feito, mas toda a gente fez… Não é verdade?

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Só Porque Te Amo

Eu encontrei a felicidade,
depois de te encontrar a ti.
Esta é a mão que sempre te dou, mas hoje, até esta mão está sozinha…
Os meus passos não são ouvidos no mesmo compasso que os teus e os nossos corações não estão a palpitar juntos. Contudo isso não significa que não estejam a palpitar um pelo outro…
Estamos juntos há tanto
tempo que já parece
uma eternidade.
Agora já não caminhamos lado a lado, não é? Há sempre uma vez na vida em que toda a gente tem o passo trocado, esta é a nossa vez… Sinto-me triste por já não assentarmos os pés no mesmo piso e ao mesmo ritmo, mas o que interessa é que continuou a guardar no meu coração as pérolas do teu olhar… A memória mais preciosa, que alguma vez poderei guardar!
Agora caminhamos os dois sozinhos, com a esperança de nos voltarmos a encontrar. E eu que ando aqui aos tropeções e já não tenho a tua mão para me segurar… Mas não faz mal, porque um dia irás estar ao meu lado e a partir desse dia irás jurar tantas coisas naquele altar, que nunca mais poderás fugir para nenhum lugar…
Eu tenho a certeza que estaremos sempre juntos e que esta distância não se irá colocar entre os dois, porque tu és a outra metade de mim. Somos as duas almas que Zeus separou há alguns milénios e se já nos encontramos, só seremos plenamente felizes se nos conseguirmos reunir.
Temos estado juntos nos bons e nos maus momentos, funcionamos como se vivêssemos num conto de fadas!

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Bestas; Caloiros; Corvos; Semidoutores; Doutores; Veteranos.

O rebanho que segue a ovelha mais velha não tem medo de nada, mas também não tem consciência de nada, não vê o perigo que os rodeia e quando a ovelha mais velha (que provavelmente já está cega) se atravessa na estrada, todo o rebanho corre o perigo de ser atropelado e nem toma consciência disso porque o que importa é ser a ovelha seguida, a mais venerada de todas, a mais “fixe”…
Rebanhos de todo o país, pensem que se as ovelhas fossem espertas não tinham pastores e cães para as guardar. Se pensarem bem, ovelhas, vocês só vêm como a ovelha mais velha é, o que vocês querem ser, e seguem-na desesperadamente. Enquanto seguem essa ovelha, nem pensam em nada mais, é o pastor e os cães que vos guiam. E tanto vos podem guiar para um pasto verdejante, como para o matador.
Seremos bestas, depois caloiros e voltamos a ser animais quando vestimos o traje pela primeira vez: corvos. A partir daí somos doutores, provavelmente doutores da mula russa! Porque ser doutor por ter 4 matrículas na universidade não me parece que seja algo de que me deva orgulhar visto que o curso deveria ser feito em 3 anos.

 Neste pequeno texto, que é todo ele uma figura de estilo que desconheço o nome mas que uso frequentemente, descrevo os caloiros deste país (e se calhar grande parte da população, pelo menos, de Portugal) e para que não tirem as vossas próprias conclusões esclareço o que quis dizer: o rebanho são todos os estudantes que seguem os “veteranos” cegamente, que querem ser como eles, que vêm neles a coisa mais “fixe” que existe. Os veteranos são as ovelhas velhas, pois são seguidos pelos restantes mas também não têm muita inteligência. Os pastores e os cães podem ser qualquer pessoa que tenha os olhos abertos, como por exemplo os políticos, que nos levam sempre pelo mesmo caminho, mas ainda não aprendemos que não é por aí que queremos ir. O problema desta hierarquia na faculdade é que não existe apenas entre jovens imaturos, mas sim por todo o lado e todos nós fazemos parte desse rebanho, que apenas consegue ver a ovelha que vai à frente, nunca vê o caminho que é percorrido ou as intenções do pastor… A partir daqui podem pensar o que quiserem e criticar-me por não compreender o “espírito académico”, mas a verdade é que não vejo mais nada para além de um rebanho quando entro na minha faculdade…


domingo, 16 de agosto de 2015

No Segredo dos Deuses

"Os meses passaram, no céu a barriga de Hasti crescia e na terra crescia a de Lynett... Jano e Hasti pareciam seguir caminhos tão distintos que nunca mais se iriam cruzar... Deixariam os deuses que o futuro os desviasse do seu caminho?"

quarta-feira, 1 de julho de 2015



Não aponto o dedo aos do passado pelo que fizeram... Contudo, como posso não apontar o dedo aos do presente que fazem o mesmo?

terça-feira, 23 de junho de 2015

Mulheres bixonas NÃO EXISTEM!

Há uns meses atrás “uma amiga” (a mesma que sugeriu que mudasse o meu nome) disse-me que faria bem há minha escrita que eu lesse livros de gente mais experiente e sugeriu-me “As Brumas de Avalon”. Agora que estou mesmo na reta final do livro e pergunto-me: ela queria-me formatar? Queria que eu escrevesse igual a todos os outros escritores? Que eu fizesse uma descrição detalhada de tudo o que não tem importância, quando os meus livros são quase livres de descrição de espaços e de roupas e tenho como personagens principais mulheres que lutam por aquilo que querem, que rumam no mundo em busca de uma aventura ou de vingança? Ela queria o quê? Que eu escreve-se uma história sobre uma mulher enviada como mercadoria para o marido, que pode ser abusada e usada como um trapo? E essa mesma mulher mais tarde (porque foi mal tratada trai o marido) encontra no amante o prazer que nunca conheceu? E eu fico WTF (traduzindo: mas que porra é esta?)!
Se eu escreve-se uma historia que começasse assim eu matava o filha da puta!! Não o traia, matava! E mandava-o encher-se de moscas! Mas não! Coitadinha, fica presa numa torre á espera que o musculado de olhos azuis e com uma piça grande a viesse salvar.
O MUNDO NÃO É ASSIM! E que interesse tem ler 100 livros em que há sempre uma mulher violada pelo marido e que arranja um amante para gostar do sexo? Porquê?
Tipo, em Portugal somos livres à 40 anos; há outros tantos que as mulheres usam calças, já para não falar no clima que à mundo que as mulheres conseguem fazer os rapazes andarem que nem cachorrinhos; como é que alguém que gosta desta merda? Se alguém disse: Eu!; tenho isto para lhe dizer “ENFIA A PUTA DO LIVRO NO CU!”
Eu não gosto de ler sobre coisas reais… eu gosto de ler e escrever sobre seres sobrenaturais, o meu último livro era sobre uma rapaz que estava acamado porque tinha uma deficiência e soube de uma lenda de demónios que o podiam curar e invocou uma (demónio)… Apaixonou-se perdidamente por essa demónio e adivinhem o que aconteceu? Até ao tártaro foi parar por a amar! E ela? Sempre a dar para trás! Sem querer saber! Era sexy, irreverente e independente! Vão-me dizer que esta história é má porque ele não a usou e deitou fora? É mau porque ela levava-o a passear com uma trela no pescoço (é quase assim)?
Nem todos os homens são os mais corajosos do mundo, nem as mulheres as mais indefesas!
Eu se tenho algum escritor que admiro realmente a escrita é Saramago e não o vejo a escrever como esta gentalha… E o que sei é que Saramago ganhou um prémio nobel… Talvez isso signifique mais do que um milhão de livros vendidos!
Eu não vou aprender nada com este livro! Não gosto deste tipo de escrita e se o li até ao fim foi por amor a dinheiro (sim porque ele constou-me o couro e o cabelo!)… Mais ninguém gosta do que eu escrevi? Tudo bem… Pelo menos não sou uma fotocópia de tudo aquilo que existe no mercado…

E se alguém quiser ler o livro da demónio que contei aqui avisem, porque assim colocou-o online para toda a gente o ler gratuitamente, que não o consigo publicar de outra forma…

terça-feira, 9 de junho de 2015

O Senhor está a ouvir-me?

E um dia no meio da confusão disse aquilo que nunca deveria ter dito…
Deveria ter escondido em mim esta ideia que me desgraça…
Como pude eu ser tão descuidada? O que me acontecerá agora?
Além de renegar ao rotativismo e ao poder dos ricos, ainda o disse em público, com certeza que serei presa, torturada… E a minha família irá comigo! Eu desgracei a minha família!
Aí de mim que desgracei-me e levei a minha família comigo!
Senhor… Só o Senhor sabe quem está correto e errado, ajude-me a ver a realidade, não me conformo com o facto de ser castigada por algo em que acredito. Senhor, se eu estiver errada dê-me um sinal e eu aceito o meu castigo, mas se não estiver, ajude-me! Ajude-me a salvar a minha família!
Eu fiz o que os seus mandamentos diziam, partilhei o meu pão com mais precisava, mas o Senhor não obriga aquele que mais tem a dar migalhas a quem nada tem… Porquê? Porque é que o Senhor não tornou o mundo justo? Se o tivesse feito, eu não teria abraçado esta minha ideia! Não a teria entregado nas mãos de quem acredita que assim as coisas não estão bem e que por bem menos matamos dois reis!
E de que lado está o senhor? Eu acredito que esteja do meu! Porque se os seus mandamentos mandam ser verdadeiro, honrado e justo, então está do meu lado! Só se, como tudo o resto, os seus mandamentos são só para os pobres, sabe porquê? Porque só os pobres tem de pagar as suas dívidas, só os pobres é que vão presos e só os pobres é que trabalham e nem pão têm para comer… Enquanto isso, o outro lado empanturra-se com caviar que comprou com o dinheiro que extorquiu de um pobre.
Se acha que este mundo é feito à sua imagem, digo-lhe já que o Senhor deve ser muito feio!
Tudo o que eu disse até agora está mau, mas comparado com outras coisas, ainda está muito bom… Porque Senhor, como pode permitir que um dos seus homens abuse de uma criança? Como Senhor? Como pode permitir que as mulheres fiquem por aí a amaldiçoar a guerra ou o mar ou seja lá o que for? Como pode levar para perto de si as pessoas que nunca fizeram mal a ninguém e só depois levar as que toda a gente queria que morresse?
Sabe Senhor, sabe o que eu disse? Eu disse “acredito nas ideias comunistas”, aquelas pessoas olharam-me com desprezo e colocaram-me à margem da sociedade…
Parece que eu, que penso fora da caixa mereço morrer, mas aquele que matou, abusou ou escravizou alguém merece ter tudo a seus pés e pode continuar a fazer tudo o que tem feito…
O Senhor não existe, pois não? Se existesse seria impensável que permitisse e compactuasse com tudo isto...

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Novo Livro

Iniciei o meu novo livro à alguns meses, até agora tenho as seguintes personagens Carolina, Samuel, Amélia, Isaías e Teófilo, conseguem imaginar que papel desempenha cada uma delas?

terça-feira, 19 de maio de 2015

as minhas marovas

Eu sou tão especial que devia ter um nome para a minha espécie rara. Ando a ver por aí muitas fotografias de cerejas e decidi partilhar as minhas, as minhas queridas marovas a quem sempre fui fiel. São cerejas pequeninas e nada gradas e nunca vi cerejas destas à venda em lado nenhum. Na casa dois meus avós há duas cerejeiras destas e tenho intenções de cuidar delas para que esta espécie não desapareça.
E porque é que sou uma espécie rara? Porque só gosto destas cerejas (eu talvez só goste de ser diferente)!

sábado, 16 de maio de 2015

Qual o problema da educação e outros assuntos

Após o meu anterior post um amigo publicou o que mais me pareceu uma dúvida. As pessoas que tem mau carácter são assim porque? Na sua visão (e pelo o que eu entendi) a culpa pode ser das mães e dos pais que não dão a melhor educação possível, contudo eu fico sem saber "será que é o sal que não salga ou a terra que não se deixa salgar" (é a educação que não é suficiente ou a criança que não aprende)?

No meu post contei uma história ficticia (que podia ser bem real) sobre uma rapariga violada e o meu amigo deu o caso do bulling, parte tudo do mesmo problema, porque é que as pessoas são assim?
Quanto ao prazer de forçar uma relação com alguém nada sei, contudo sei algumas coisas sobre bulling... Normalmente as pessoas estão habituadas a ouvir o lado das crianças que foram agredidas ou insultadas e nos últimos tempos comecei a pensar que seria importante contar o lado ao qual pertenci, eu já fui a pessoa que goza! Nunca bati em ninguém que não me tivesse batido antes, nunca fiz de ninguém um saco de pancada, mas penso que mexi com o lado psicológico de algumas pessoas... Porque é que o fiz? (na escola reina a lei da selva) Só gozava com outro para mostrar que era superior, para ganhar respeito, para mostrar que era forte, para ser aceite no grupo dos outros que também gozam...
Eu agora consigo ver o quão estúpido é, mas a verdade é que ou és o que agride ou és o agredido... É assim que as coisas funcionavam e continuam a funcionar.
Peço desculpa se estraguei as expectativas que alguém tinha de mim...
As vitimas de bulling são o elo mais fraco por várias razões:
  • Não se sabem defender;
  • São mais gordas que os outros;
  • São mais magras que os outros;
  • São mais feias que os outros;
  • Já sofreram na vida por outras coisas e isso mete-os logo à margem da selva;
  • Têm mais respeito e por isso não são capazes de pagar na mesma moeda;
  • São mais inteligentes que os outros.

Porque é que agora consigo perceber que tudo o que fiz é errado? (anos depois de tudo o que aconteceu pedi desculpas a quem fiz mal, nada apaga a dor que lhes causei, mas pode atenuar) Porque cresci! Isso é o problema de muitos jovens, não crescem o suficiente para um dia se tornarem adultos.

E para responder à pergunta que coloquei logo no início do meu texto: em mim, o sal salgava e a terra deixava-se salgar, mas as companhias corrompiam-me.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Um Filho de Ninguém

Jovem, porque vives assim? Vives agarrado ao vicio do tabaco, à ganza e à cerveja, mas porquê? És mais feliz assim? Como podes ser mais feliz se não te lembras do que fizeste?
Não sabes se foste violado ou se violaste, se vires a barriga daquela rapariga a crescer não sabes se és o pai, mas na tua mente tens uma vaga ideia de a ter arrastado para o beco onde costumas defecar quando estas embriagado... Talvez ela nem se lembre, pelo menos é suposto não se lembrar, tu calculaste bem quantidade de droga precisavas de por na bebida para que ela não se lembre da tua cara! Não terás problemas, ela já desapareceu na rua e nem olhou duas vezes por ti! Provavelmente nem foste o único que se aproveitou dela naquela noite, depois de lhe rasgares as roupas e a deixares desmaiada em cima da porcaria quantos não se terão aproveitado dela?
Mas a culpada é ela, porque é que ela tinha aquele corpinho de sereia... aquela carinha de santa que te encanta... e aquela roupa de prostituta? Ela é que se ofereceu e tu aceitaste a oferta! A culpa não é tua! É toda dela! Foi ela que te provocou!
E se agora eu te disse que ela só tem 15 anos? O que é que vais fazer? E se eu te disser que eu vi tudo? E se eu disser que fui eu que te deixei esse olho negro? E se eu te disser que vão descobrir que aquele filho é teu? Vais fazer o quê?
Eu vou ajudar-te, tem calma, eu não vou dizer nada... Não vou dizer nada que te livre das consequências, vou empurrar-te pelo caminho que escolheste, vou abrir-te as postas do inferno! É aí que tu mereces estar!
Ela foi inconsciente porque mostrou o que não devia e tu? E tu? Tu que não foste o que devias ser! Tu és adulto! Porta-te como deve ser! Não a devias ter violado! Tu não sabes que não podes ter tudo o que vês? Não sabes isso? Então espero que no teu futuro encontres essa lição! E no que depender de mim, vais aprende-la no inferno...


aquela frase...


terça-feira, 5 de maio de 2015

Mudança de Nome

Olá leitores, venho por este meio avisar que a partir de agora vou deixar de assinar como Joana Silva e passar a assinar por Joana C. Silva.
Foi uma amiga que me deu este conselho e eu achei que faz todo o sentido, por isso não se esqueçam que os nomes são diferentes mas a autora é a mesma.

Tenham uma boa semana :)

sexta-feira, 24 de abril de 2015

preparação para: 25 de Abril de 2015 - recordar o presidente da republica de como deve colocar a bandeira! a tradição deve continuar!

Será que a tradição vai repetir-se? Sim! Essa tradição de hastear a bandeira ao contrário!

Vamos corrigir a porcaria que fizemos? Não, isto é um teatro! O espectáculo tem de continuar!

quinta-feira, 16 de abril de 2015

sábado, 11 de abril de 2015

O Caminho

Os do passado podem ter descoberto o caminho marítimo para a Índia, mas nós, os do presente, ainda não o percorremos. Por isso o que foi novo para os que nos antecederam, para nós também o é.

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Recado para os meus Leitores

Hoje fui fazer a minha visita diária ao e-mail e reparo que tinha um comentário na publicação "fumo para morrer", em que a senhora Graça Sampaio pareceu muito preocupada com a minha saúde mental. E eu quero explicar que eu já estive muito mal (com uma depressão grave) e há certos textos neste blog em que mostro os sentimentos que tinha nessa altura, mas eu curei-me e estou bem. Hoje, sou uma pessoa feliz. (Muito feliz na verdade!)
A minha mente é como a juba deste leão, está cheia do que não lhe pertence.
E por exemplo, este post é o momento em que eu sinto que estou a viver no corpo de outra pessoa (é como se eu incorpora-se os sentimentos de alguém que eu não conheço). Simplesmente imagino uma história e conto a história dessa pessoa num pequeno texto... Se lerem os meus poemas, certamente estarão a ler algo que sinto ou que já senti (mesmo que a personagem do poema não seja eu), se estiverem a ler os meus textos não haverá como saber se estou a sentir a dor (ou alegria) de alguém ou a partilhar os meus sentimentos.

Como já disse, tive uma depressão, e sinto que ainda estou a recuperar dela. Ao início de começar a escrever era muito fácil para mim escrever algo que não fosse sobre o meu ser; mas desde que comecei a ficar deprimida que quase deixei de escrever tudo o que envolve-se entrar no espírito de uma personagem. A senhora Graça é uma pessoa que conheceu-me quando ainda estava deprimida por isso é normal que não saiba como era antes da depressão e agora eu estou a voltar ao antes, por isso é completamente normal que daqui para a frente eu escreva sobre histórias de pessoas que eu invento na minha mente, mas acredito vivamente que existam na vida real. 

quinta-feira, 9 de abril de 2015

caça

Estava eu a ler notícias e deparo-me com esta.
Eu não me lembro se alguma vez disse como desprezo a caça e como penso que só faz mal ao nosso país... Contudo, nesta mesma notícia encontrei o comentário de um senhor que supostamente se chama Mário Lavrador que em meia dúzia de palavras conseguiu dizer tudo o que se passa na minha cabeça quando se fala em caça:
O melhor mesmo seria acabar com a caça de uma vez por todas! Existem muitos caçadores que disparam sobre tudo o que vêem e não vêem, se alguma coisa mexe, vai chumbo para cima, afinal os animais não vão à esquadra apresentar queixa... A caça fazia sentido quando precisavam de caçar para comer, o que certamente não acontece hoje em dia. Agora é só pelo prazer de matar, de se sentirem homens com uma arma nas mãos...?? Os humanos só estão no planeta para praticar o mal, cada vez mais me convenço disso...
Eu não o teria dito melhor!

quarta-feira, 8 de abril de 2015

fumo para morrer

Seguro um cigarro entre os dedos e de vez em quando enfio-o na boca… Não sei porque perpetuo-o este hábito, sei que me faz mal, mas não consigo parar…
Talvez o faça porque os outros também fazem, ou talvez porque me sinto sozinha. Mas se me sinto sozinha porque é que saiu de perto dos meus colegas de trabalho e venho cá para fora fumar?
Eu sei que aqui estarei sozinha e do outro lado desta porta… Eu também estarei sozinha… Não interessa quem esteja há minha volta… Eu estou e sempre estarei sozinha!
Quem um dia amei, já não caminha por estas ruas… Talvez, continue a enfiar o cigarro uma vez mais na boca para me encontrar com essas pessoas que já partiram…
Deito este resto de cigarros fora, mas o que eu queria mesmo deitar fora na minha vida… Queria encontrar me com quem amo…

Mãe, pai, eu preciso de vocês, não consigo… Não consigo continuar a viver longe dos dois… Espero que este cigarro realize o meu desejo e me envie para debaixo do chão!

domingo, 5 de abril de 2015

sábado, 7 de março de 2015

Na Minha Aldeia

Eu fiquei sozinha na aldeia
A lavrar a terra, a evitar que se torne areia.
Foram todos em busca de uma vida melhor
Estão fartos de ter tudo através do seu suor

 O que haverá de tão bom fora deste lugar?
 O que dizem é que lá não custa tanto trabalhar,
Lá para onde vão. mas será que é verdade
Eu desconfio que lá tem o castigo da saudade.

Se lá é que é bom, porque é que a aldeia vêm visitar?
Eles vão para lá com a ideia de um dia voltar…
Eles voltam para visitar os entrequeridos,
O lugar que chamam lar e a mim, único exemplar dos vivos.

Eu já estou velhinha e quando partir,
Nem para debaixo do chão devo ir.
Não há ninguém para me enterrar!
Ninguém para da terra cuidar!

Esta aldeia será consumida pelo mato.
As casas transformar-se-ão em montes de nada.
Esta terra não vai parecer que foi habitada.
Aí! Que como um peso no coração parto!

quarta-feira, 4 de março de 2015

O Meu Nariz Novo

O mundo tem agora um cheiro diferente…
Pelo menos é o que o meu sentido me diz.
Agora respiro o suficiente
Para me sentir feliz!

Eu tinha perdido o nariz,
Não sei em que lugar.
Não sei o que lhe fiz.
Mas alguém o sobe encontrar.

Agora tenho-o em posição
Para cheirar a estação

Que está para chegar!

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Caçar-te

Do cimo da minha torre, vejo-te correr, ora para um lado ora para o outro… Como queria deliciar os meus lábios na tua pele…
Sou um fantasma que não queres encontrar ao virar da esquina, mas sou o vampiro que gostarias de ter na tua cama…
Queres tanto que te consuma como eu te quero consumir, só não percebo porque não te entregas a mim…
E foges do meu olhar! Até o meu olhar te deixa arrepiada! Foges de mim, mas para mim, queres voltar!

Corre, corre, corre rua a baixo que eu nem me esforço para te ir buscar. Quero que sejas tu a compreender que não podes viver sem mim, sei que vais encontrar o meu esconderijo, sei que não vais viver sem mim… Porque até conheceres os meus encantos, não conheces homem nenhum com encantamento!

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Adoro as pessoas que se dizem defensoras dos animais (por exemplo: vacas, coelhos, porcos) e depois comem-nos... Então, segundo estas pessoas existem direitos dos animais mas só quando esse animais não são o jantar dessas pessoas.
Atitude nada hipócrita!

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

O Rei Macaco

Anda por aí o rei macaco!
Dizem que ele é louco por querer talco.
O doido do macaco quer ser branco,
Deve pensar que por isso passa a ser santo!

Os macaquinhos têm medo da nova cor,
À qual o rei tem um grande amor!
Mas o que se pode fazer?
O rei é doido a valer!

Os trovadores espalham por todo o lado
Que não saí do quarto se não estiver pintado
O macaco ainda é destronado
Também dizem que o rei é tarado!

Ninguém se deve sentir como o macaco
Porque o seu espírito está um caco.
Tudo porque o rei não sabe:
Que nascemos prefeitos! Essa é uma grande verdade!

sábado, 31 de janeiro de 2015



A minha vida é uma guerra constante e uma guerra tão grande que se tivesse sido rei teria conquistado Espanha… Parece que nasci para guerrear!

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Olá Blog


Pois é, fui operada ao nariz e tenho tido imenso tempo para escrever mas a verdade é que não me apetece nada. Quem me conhece, sabe que desde bebé que tenho o nariz partido e por isso esta operação não foi uma futilidade, só digo isto para que não me tomem por uma pessoa errada.
Contudo ando a pensar e muito no nome do meu próximo livro. Este livro já existe há muito tempo na minha mente, antes de escrever o livro que vou lançar agora ("No Segredo dos Deuses") já queria escrever um livro como o que estou agora a escrever. O tema base do meu livro é DRAGÕES... Sei que algumas pessoas que se esforçam para ler os meus livros porque tem algum laço comigo vão pensar "feitiçaria: que novidade!", pois mas este é o meu registo na literatura. É isto que gosto de escrever, é isto que me diverte. Além da feitiçaria eu também tenho outra vertente artística! Tenho alguns contos infantis que um dia vou publicar! Só que eu prendo publica-los todos juntos e quando tiver muitos! E também tenho poemas que gosto de partilhar, mas acho que não gostaria que fossem publicados como uma Colecção de Poemas de Joana Silva, os meus poemas são os meus problemas e quando os decido partilhar tudo bem, mas muitos deles não gosto de os ouvir ser lidos...
Contudo estou aqui para perguntar: o que pensa de "A Maravilhosa História da Carolina" como título para o meu próximo livro?

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Hoje descobri uma coisa de que há muito já ouvira falar: "recebemos mais do que aquilo que realmente damos".
Já vos contei que o direitos de autor do meu próximo livro serão doados a uma instituição de solidariedade social (CBEI de Vila Franca de Xira) e hoje desloquei-me à mesma a fim de a conhecer e deixa-me tão contente o facto de saber que vou ajudar outras pessoas ao partilhar com o mundo aquilo que amo fazer...
Eu sinto-em como um espírito que não vai ser visto por quem é ajudado, mas que sem esse espírito aquelas pessoas não poderiam ser ajudadas e eu gosto de me sentir assim... Sentir-me como uma sombra iluminada!