Translate

domingo, 24 de julho de 2016

Equilibrar-me com o Mundo

De há uns anos para cá, quando comecei a aperceber-me do esgotamento a que chegou o nosso planeta, em termos de recursos e níveis de poluição, fiquei extremamente preocupada! O que eu posso fazer para ensinar os outros aquilo que sei? Como posso fazer o mundo mudar? E a verdade é que não posso fazer nada… Eu não posso mudar os outros, nem ensina-los se não quiserem aprender, as pessoas simplesmente não se preocupam com isso e penso que seja um pouco estupidez, porque não acreditam nos factos quando eles lhes chovem em cima!
Um exemplo, sigo um site que é o 9gag onde há pessoas de todo o mundo a queixar-se de como nos seus países os termómetros estão a atingir temperaturas recorde e que não conseguem aguentar tais temperaturas, contudo em Portugal tem si
do o verão, mais ou menos dentro do normal. Onde é que eu quero chegar com isto: nem sempre sentimos os efeitos do aquecimento global no pequeno espaço em que vivemos e por isso devemos ver a terra como um todo.
Voltam ao que interessa, eu queria mudar o mundo! E ainda quero! Mas sei que não posso mudar 7 biliões de formas de pensar, por isso tenho mudado a minha aos poucos, tenho vários objetivos que tenho tentado cumprir para diminuir o impacto ambiental que a minha vida causa no mundo e por isso, de vez em quando vou partilhar no blog o que mudei em mim, nas coisas que uso, nas coisas que faço e as coisas que obriguei a minha família a fazer!

Espero que gostem e que me ajudem a mudar todos os dias mais um bocadinho!

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Música = Inspiração

Não me lembro qual foi a música que ouvi repetidamente até concluir o meu primeiro livro... Foi há demasiados anos, para me lembrar. Mas isso não tem qualquer importância, até porque esse livro é um pequeno segredo guardado no fundo do meu coração! Não é nada mais do que uma pequena paixão que tinha que voar por algum lado...
O meu segundo livro (Duas Espadas e Um Arco) escrevi ao som dos Slipknot, System of Down, Metallica e tantos outros, contudo a minha escrita não reflete o estilo musical que ouvi, sempre quis dizer isto ao mundo mas não sei muito bem porquê, talvez assim, um dia quando eu já não cá estiver, consigam compreender melhor o que fiz e porque o fiz.
O meu terceiro livro (Um Talismã) é muito triste e a música que ouvi predominantemente enquanto o escrevi, também é muito triste: Brandi Carlile - The Story e o que mais me inspira nesta música é uma frase muito simples "uma história não é nada se não houver alguém a quem as contar" e talvez goste tanto dela porque sou uma contadora de histórias.
O meu quarto livro (No Segredo dos Deuses) demorou tanto tempo a ser escrito (5 anos) que não me lembro com que musica comecei e com qual acabei, contudo lembro-me da música com que escrevi o 1º final (não o final que consta no livro, acho que já o publiquei algures aqui no blog) e lembro-me perfeitamente desta música porque foi a primeira musica que ouvi ser tocada pelo amor da minha vida: Yiruma - River Flows In You, não sei se este é o verdadeiro autor da música mas é a versão que ouço no youtube.
Agora vou no meu quinto livro, acho que não tem um público-alvo porque o início é demasiado infantil para um adulto mas o final será demasiado caótico para uma criança. Já parei de pensar que alguma vez tenha sucesso por isso não me preocupo se ninguém gostar, eu apenas escrevo porque gosto! Gosto de viver em outros mundos, outras alegrias, outras sensações que não posso viver neste mundo! E a música que realmente marca este livro é: Jamei Scott - Unbreakable... Nenhuma outra música poderia definir melhor a personagem principal, apesar de ser alguém frágil, um conjunto de coisas a tornará inquebrável.