Translate

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Nesta Lata Guardo Recordações

Nesta lata guardo recordações.
Guardo recordações de pessoas que são genuinamente boas, que fizeram a diferença na minha vida. Guardo recordações das pessoas que mais me amam e me apoiam neste momento, que foi o mais difícil da minha vida. Guardo a recordação de até de quem ainda não nasceu! E não há forma de agradecer o carinho que recebi dessas pessoas sem que seja com um obrigado.
Mas a vida não é só feita de coisas boas, e aqui dentro também estão recordações das piores pessoas com quem me cruzei nestes três anos de estudo. Que tornaram a minha vida num verdadeiro inferno e fizeram de Leiria um lugar insuportável. Por que é que guardo estas recordações negativas? Não sei! Deveria queima-las, como se faz a tudo o que é mau e não presta!
Mas uma parte de mim não quer fazer isso… Talvez porque uma parte de mim saiba que no futuro eu vou precisar destas más recordações. Vou precisar delas para me lembrar o quão forte sou. Para me reavivar a memória de que nada, nem ninguém me consegue deitar a baixo ou levar a melhor de mim, por muito que tente!
Por isso, nesta lata guardo todas as recordações, as boas, e as más. 
Ah! Quase me esquecia! Eduarda, se algum dia leres este texto, quando escrevi na tua fita que tinha aprendido muito contigo, referia-me a aprender o quanto uma pessoa pode ser falsa, intriguista e mesquinha!

Sem comentários:

Enviar um comentário